* Reviva a JOPRISE

*Por Edla Zim

Existem momentos próprios para saudosismo e sonhos. De termos iniciativa e acabativa. Tá certo que esta última, nem sempre acaba bem.  Mas, chamaminha atençãoo gosto pela escrita de assuntos que me trazem uma certa nostalgia. Sou saudosista assumida, mas também sou sonhadora. Tenho iniciativa e me disciplinei para ter acabativa nos principais processos que inicio. Mas, voltemos ao assunto em pauta desta crônica.  Semana passada, passei perto do seminário aqui de Tubarão e me assustei com a proximidade dele com a cidade.

Sim, pois com relação ao referido local, a maior e melhor recordação que tenho, especialmente da minha fase infanto-juvenil, é da JOPRISE – os famosos Jogos da Primavera do Seminário. Esperava ansiosa pela data. Fecho os olhos e até hoje,lembro-me do frenesi lá em casa, por conta da proximidade dos jogos. A vizinhança ficava alvoraçada.AJOPRISE se revestia de muita expectativa. Era muito místico. É viva a lembrança que tenho, e entre elas, o caminho até o seminárioque parecia ser tão longo. Papai nos levava de Kombi por uma estrada cheio de curvas e muita vegetação.

A expectativa ficava por conta do grito: tá perto!E a gente levantava e olhava pelas janelas na esperança de ver o prédio tão lindo e tão grande. E o coração? Simplesmente pulava, pois além de todos os jogos previstos na JOPRISE, existia a forte possibilidade de encontrar os padres e seminaristas, cuja clausura era revestida de mistérios para as crianças.  A missa era a grande oportunidade para vê-los. Cumprimentar Pe. Toninho, idealizador dos jogos,era uma “obrigação” muito boa. Foi tão marcante este período que me lembro claramente dos atletas e das modalidades que eu amava, como vôlei e handebol. No campo de futebol ficavam os homens em sua grande maioria e algumas moçoilas a procura de garotos para a sonhada paquera. Lembro-me também dos comentários das mais velhas a respeito das coxas e glúteos dos jogadores. Só adulta descobri o significado de glúteos. Crianças corriam nos pastos segurando balões, enquanto seus pais colocavam a prosa em dia com tantos amigos que encontravam lá. Adorava ver o estacionamento dos ônibus. Achava aquilo maravilhoso. Posso sentir o cheiro da pipoca em meus pensamentos.  Era um grande evento. Tubarão ficava na vitrine dos jogos. Já o seminário, ficou na minha memória de criança,e a JOPRISE,guardada no meu coração.

E você, algum dia foi na JOPRISE?

 


ivanacoluna* Edla Zim é Graduada em Administração de empresas, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda. Possui Pós Graduação em Gestão Empresarial e Recursos Humanos. Atuou quase 40 anos no mercado, dos quais 30 anos na empresa Tracebel Energia. Mas foi na família, que Edla conquistou sua maior formação e transformação. Palestrante de diversos temas voltados ao comportamento humano, família, mulheres, empresas e jovens.  

Saiba mais sobre Edla Zim clicando aqui.

Get a free blog at WordPress.com Theme: Fusion by digitalnature.