* A Cocada, o Limãoe o Vendedor

*Por Edla Zim

Cocada de limão? Achou o título ácido? Daquele que faz a gente sentir um arrepio nos maxilares, popularmente chamado de carrinho? Muito bem, tinha tudo para ser ácido, mas a experiência mostrou justamente o contrário.

Ao ser abordada de forma insistente pelo vendedor de cocadas, pensei em experimentar aquele pedaço que me era oferecido, de modo a me livrar dele ligeiramente, pois fiz uma análise rápida do local (praia + calor + higiene) e já imaginei um perigo iminente.

Ao colocar o pedacinho na boca, automaticamente meu cérebro deu comando para meus passos diminuírem de tamanho e velocidade. Era a chance de manter meu corpo próximo do vendedor que já começava se afastar.

Fechei os olhos e vagarosamente (como faço com chocolate), deixei aquela cocada mole de limão desmanchar na minha boca, tocar as minhas papilas gustativas (aquelas que os enólogos chamam nossa atenção quando experimentamos um vinho pela primeira vez) pra sentir um dos melhores sabores experimentados até hoje.

Não tinha aroma como café, como o churrasco e tão pouco o aroma de uma saborosa pizza.  Não lembrava, nem de perto, aquele pão de casa que a mãe da gente fazia como ninguém. Memórias olfativas de comidas que não precisam de um propagandista. Se vendem sozinhas.

Mas voltando para a nossa cocada, desprovida de aroma, precisava ser anunciada e degustadaem uma praia perdida, onde fomos levados de barquinho, no último passeio de nossa viagem.

Ao levantar a toalha, percebi que aquele meu comportamento de prejulgamento, especialmente por conta da higiene, era desnecessário. Acomodadas num plástico limpo e sobre folhas de papel manteiga, as cocadas eram cortadas em quadrados perfeitos. Não havia uma única falha no corte.  Me chamou a atenção o capricho e a receita, que rapidamente foram sendo passados, como garantia de algo feito com muito amor.

Aqui, muito distante, não consigo esquecer do calor, das águas claras, do vendedor e especialmente da dona desta crônica, a deliciosa cocada de limão.

E você, já perdeu oportunidades por fazer uma leitura errada da situação?

 

ivanacoluna* Edla Zim é Graduada em Administração de empresas, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda. Possui Pós Graduação em Gestão Empresarial e Recursos Humanos. Atuou quase 40 anos no mercado, dos quais 30 anos na empresa Tracebel Energia. Mas foi na família, que Edla conquistou sua maior formação e transformação. Palestrante de diversos temas voltados ao comportamento humano, família, mulheres, empresas e jovens.  

Saiba mais sobre Edla Zim clicando aqui

Get a free blog at WordPress.com Theme: Fusion by digitalnature.