* O CANTOR DOS CORREDORES

* Por Edla Zim

Ele cantava todos os dias. Às vezes, o dia todo. “Seu Zaga da limpeza” tinha esposa e cinco filhos,uma família repleta e feliz, como dizia ele. Por vezes perguntei se ele não passava dificuldades com um salário pequeno e com tantos compromissos? Ele dizia que era o homem mais sortudo do mundo, pois tinha uma família que amava. Seu Zagafazia bicos e ainda ganhava uma coisinha aqui e outra ali.  Era muito prestativo e estava sempre disposto a ajudar, independentemente da posição que ocupávamos na empresa ou fora dela. Ele era o verdadeiro amigo lá na “firma”.

Foi com ele há quase vinte anos atrás, que presenciei uma cena e que hoje é motivo desta narrativa. Voltávamos de uma reunião e como de costume ele estava limpando e cantando. Complementei uma parte da música e ele ficou todo faceiro. Não era uma música de meu repertório, mas o refrão era conhecido e achei ser uma forma de estimular a cantoria.

Passamos e minha colega me repreendeu por “dar corda” para aquela pessoa irritante.       Nem liguei, porque aquele pacote (o mau humor) não seria recebido por mim. Não receberia mesmo. Primeiro, porque eu gostava do jeito dele e, segundo, porque sempre o tratei bem. Porque teria que concordar para agradá-la?

Passaram-se 3 dias e seu Zaga limpava as salas e corredores calado.  Fui conversar com ele achando que algum problema tinha acontecido para deixa-lo tão amuado. Vejam bem, ele estava amuado e não triste e descobri a diferença naquele dia.

Se Zaga foi impedido de cantar porque irritava “algumas pessoas”. Foi solicitado sem muita gentileza que ele fizesse somente o serviço, sem cantorias e gargalhadas porque aquele era um ambiente de trabalho e não de brincadeiras.

Muito bem, concordo que num ambiente de trabalho regras devam ser seguidas, que existam limites e que devemos cuidarpara não prejucar nossa equipe. Sim, acredito que tudo isto deva ser levado em conta para a construção de uma equipe sem conflitos (o que é difícil) e de sucesso.Porém, acredito que pior do que não seguir as regras acima, até por falta de uma boa integração, é a soberba e o mau humor de algumas pessoas no ambiente de trabalho. Respeito às diferenças culturais e sociais e a prática da empatia, possibilita crescimento e sucesso para sua equipe.

Já aconteceu com você situação parecida, onde uma pessoa se irrita com a alegria da outra?

 

ivanacoluna* Edla Zim é Graduada em Administração de empresas, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda. Possui Pós Graduação em Gestão Empresarial e Recursos Humanos. Atuou quase 40 anos no mercado, dos quais 30 anos na empresa Tracebel Energia. Mas foi na família, que Edla conquistou sua maior formação e transformação. Palestrante de diversos temas voltados ao comportamento humano, família, mulheres, empresas e jovens.  

Saiba mais sobre Edla Zim clicando aqui

Get a free blog at WordPress.com Theme: Fusion by digitalnature.